2 comentários sobre “Como o BIM no Brasil está evoluindo em relação ao mundo?

  1. João Tales says:

    Oi João! Aqui é o outro João (Japão). Parabéns pelo blog!

    Sobre a referida pesquisa sobre a adoção do BIM no Brasil, acredito que sem saber a metodologia da coleta de dados, fica difícil saber como o tal professor chegou nestes números. Aparentemente os números estão superestimados. Tenho também dúvidas se o Brasil está entre os 9 maiores mercados de construção do mundo (cadê a China?). 24% equivale a dizer que 1/4 das empresas/profissionais do Brasil adotam o BIM. Mesmo? Não sejamos cautelosos, este número é esquisito.

    Concordo com você que medir o nível de maturidade em BIM nas empresas é bem difícil de ser feito. Vou ler o material que você recomendou.

    Fico imaginando como seria medir o nível de maturidade em CAD nas empresas. Acho que estamos alguns paradigmas atrás do que seria vanguarda.

    Sobre a adoção do BIM no Japão, tenho a impressão que é menor que no Brasil, por íncrivel que pareça. O mercado japonês é um mistério. Por um lado desenvolve-se tecnologia de ponta, e do outro empresas (e pessoas) continuam a usar fax, vhs, mds etc. Pois é!

  2. Oi, João, que legal ter notícias suas! Obrigado por me seguir aqui 🙂

    Pois é, o professor Kiviniemi usou dados da McGraw-Hill e, olhando o relatório, não dá pra saber a metodologia, não fica clara. De todo o modo, pelas respostas, é quase evidente que:
    1 – Quem perguntou não sabe bem o que está perguntando.
    2 – Quem respondeu não sabe bem o que está respondendo.
    3 – Podemos trocar, nas afirmativas 1 e 2, o termo “não sabe bem” por “finge que sabe”, que vai dar no mesmo, ou seja, em NADA ou algo muito próximo disso.

    Claaaaaro que eu sou apenas um professor de softwares, escritor e dono de centro de treinamento que ainda está pra tentar entrar no mestrado. Claro que tenho muito pra aprender.

    Por outro lado, se eu, que ainda tenho pouca bagagem acadêmica, já percebo isso, imagina a quantidade de falhas nesse processo?

    Daí que fico pensando que, na verdade, esse relatório, e nada, é quase a mesma coisa. Wishful Thinking eu gosto muito de fazer, e posso cobrar bem mais barato, ou nada, por isso, hehehehe.

    Abraços!

Gostou? Deixe seu comentário!

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.