6 comentários sobre “O primeiro encontro – parte IV – Levantamento da produção acadêmica sobre BIM no ENTAC 2014

  1. João, parabéns pelo seu trabalho.

    Fico surpreso com artigos brasileiros, muito impressionado, na verdade.

    Contudo é um novo universo de oportunidades que temos pela frente, principalmente para quem gosta de tecnologia e busca soluções inovadoras para a indústria.

    Abraços.

  2. Oi, Cleandro, tudo bom? Muito legal você passar por aqui.
    Em quantidade, temos um número de artigos sobre BIM em relação ao total de artigos; a relação também é boa, se a gente compara com outros países.
    Espero que, com o tempo, tenhamos cada vez mais inovação sendo apresentada nos artigos sobre BIM que virão, certo?
    Um abraço!

  3. thephysicist says:

    Oi Joao!

    Muito legal estas informações sobre BIM no Brasil. Parabéns pelo trabalho. Eu tenho alguns comentários a fazer sobre os resultados apresentados.

    Estou surpreso que duas universidades do nordeste estão produzindo mais artigos acadêmicos sobre BIM que outras universidades do sudeste e sul. Interessante.

    O fato do Brasil ser o segundo país que mais publica sobre o BIM (dentro dos critérios apresentados) é interessante também. Não sei os detalhes da pesquisa, mas se for verdade, acredito que seja uma produção mais superficial que a de outros países que utilizam o BIM na prática (EUA, UEA, Singapura, entre outros).

    Na minha opinião, o Brasil tem mais “profetas” do BIM que em outros países. Pessoas que publicam e discursam sobre o assunto sem contudo dominar o uso de ferramentas ou ter experiência na execução de projetos com base no BIM. São artigos e discursos puramente acadêmicos. Não vejo mal nisto, apenas tento colocar as coisas em seus devidos lugares.

  4. Oi, João, tudo bom?

    Achei muito interessantes as suas colocações. Realmente é bom saber que o Nordeste tem pesquisa em BIM publicada no ENTAC. Por outro lado é assustador que a grande maioria dos estados e das universidades brasileiras não apresentaram nada (ou não tiveram nenhum trabalho aprovado, o que é igualmente ruim). Quanto à pesquisa em instituições privadas, então, nem se fala.
    Quanto ao conteúdo das pesquisas, acredito que você tem uma certa razão, mas isso é tema para outro artigo 🙂
    Em relação aos profetas de BIM, também acho que existem muitos por aí, e eles tem sua função. Acredito que, com o tempo e o desenvolvimento das pesquisas, teremos mais especialistas de ofício.

    Sempre legal você por aqui.
    Abraços!

Gostou? Deixe seu comentário!

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.